quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Citações contidas nos artigos

Actor

«Este aforismo conheci-o verbalizado por Miguel Seabra, numa sessão de homenagem ao seu trabalho na Sociedade Portuguesa de Autores: "O actor existe para fazer mas o seu grande pecado é querer fazer."» in Tria, millia, passum - Domingo, 30 de Novembro de 2008


Confiança

«[...] A relação harmoniosa entre todos neste encontro transmitiu-me uma tal confiança que passei a verbalizar esta palavra com outra clareza: confiança significa ficarmos somente no tempo presente, sem passado e sem futuro de qualquer espécie, somente no presente, pois sabemos que o próximo segundo, quando tiver que vir, se resolverá.» in Alabad em Évora - Terça-feira, 2 de Dezembro de 2008


Intuição

«A resposta sem ter feito a pergunta. O resultado sem a equação. Um salto. Assim é a intuição. Inteligência para lá do intelecto. Faculdade não-exclusiva deste ou daquele, precisa que a experiência teórica se funda tranquilamente com a da prática e que se confie que todo um processo quase às cegas nos leve para mais longe ainda. A intuição está mesmo num carril diferente. Não cabe ali o preconceito, o maquinal, o previsível, o imediato e tão-pouco a premissa. É algo que não se compreende, apreende-se. Está no domínio do incognoscível. É a alma quando se torna espontânea. E é igualmente o melhor caminho para se abordar o novo, fugindo das estafadas respostas antigas (que o intelecto insiste em dar diante do incerto e do desconhecido).» in O Papa e a intuição - Sexta-feira, 2 de Janeiro de 2009


Profissionalismo

«[...] Mas daqui fica a ideia de que os bons hábitos profissionais só se interpretam de uma forma justa quando interiormente somos já o reflexo dessa vontade. Caso contrário, pode até tratar-se de algo tão esvaziado de sentido que o impacto da sua aplicação pode inclusive fazer mais danos do que a ausência da sua execução.» in Depressa para não haver depressa - Sábado, 13 de Dezembro de 2008


Síntese

«[...] A síntese é uma das faculdades que melhor define o "sentido do teatro". Conseguimos senti-la não quando algo se comprimiu, de facto, mas quando desse exercício a intensidade, o exagero e a distorção, ao contrário do que possa parecer, colaboram em prol da verosimilhança. Quando isso acontece, sentimos o poder de uma síntese, ou se se preferir, a força da comunicação através do teatro, pois, na verdade, não se imitou meramente uma realidade: transpôs-se.» in Comprimido Godot - Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008


Ver


«"Ver" e "fazer", em teatro, só existem quando se validam mutuamente e se complementam. Por isso mesmo podemos dizer que são um só.» in Workshop na Circolando (Porto)

Sem comentários: